quarta-feira, 2 de março de 2011

Dor neuropática: sintomas e tratamento

O que é a dor neuropática?

A dor neuropática é quando ocorre alguma lesão nas vias nervosas que conduzem a dor, isto é, uma dor de origem neurológica. A causa da dor pode estar localizada no nervo ou na medula espinhal ou no encéfalo, ou seja, é uma dor em que há comprometimento do sistema nervoso. Diferente de uma dor somática, em que a causa está em outro tecido e não no sistema nervoso. Por exemplo, o indivíduo leva uma pancada na perna, essa dor é por uma contusão no músculo, na pele; outro exemplo é a dor nas juntas por um tipo de reumatismo; não há lesão neurológica, ao contrário da dor neuropática.

Quais as doenças que a causam?

Existem inúmeras situações em que esse incômodo pode aparecer. Quando batemos o cotovelo na mesa e machuca o nervo ulnar, a dor irradia para os dedos, provocando uma dor neuropática, e essa dor é passageira porque foi causada por um traumatismo fugaz. Outra dor de origem neuropática bastante comum é a ciática, em que há uma compressão da raíz do nervo ciático na saída do canal vertebral. Tem ainda a nevralgia do trigêmeo, uma dor provocada por uma disfunção do nervo trigêmeo, que causa uma dor na face, em choques. Mais um exemplo de dor neuropática é a causada pela polineuropatia diabética. O diabético pode desenvolver um mal funcionamento dos nervos periféricos e um dos sintomas é a dor, na forma de queimação, que atinge as extremidades, os dedos dos pés e das mãos.

Como é o tratamento da dor neuropática?

A dor neuropática não responde aos analgésicos comuns e aos antiinflamatórios porque esses remédios foram feitos para a dor somática. Às vezes pode até melhorar um pouco, mas geralmente o alívio é pequeno e não se mantém. Como o mecanismo da dor é neurológico, necessita de remédios especiais, que atuam no sistema nervoso central. E como é uma dor que tem basicamente o mesmo mecanismo, independente da causa, o tratamento medicamentoso não varia. Quando ela se manifesta em choques, como é o caso da nevralgia do trigêmeo, o tratamento é feito com drogas antiepilépticas. As drogas que são usadas para epilepsia têm um poder analgésico grande nessas dores. Já na dor neuropática em que pessoa sente ardor, queimação, como é o caso da neuropatia diabética, alguns antiepilépticos funcionam e alguns antidepressivos são inclusive aconselhados, porque têm ação analgésica. O efeito da medicação não costuma ser 100%, e o médico fica satisfeito com uma melhora razoável. Além disso não é um tratamento curativo, a pessoa terá que tomar aquele remédio continuamente para manter o alívio.

Então a dor neuropática é quase sempre crônica?

A não ser que a causa da dor seja transitória. Uma dor neuropática temporária comum é após o herpes zoster (cobreiro), que é um vírus que atinge os nervos e causa uma erupção na pele e causa muita dor. Uma pequena porcentagem de pacientes mantém esta dor por tempo indefinido após a fase aguda.

São indicados outros tratamentos?

Como a dor neuropática costuma ser de longa duração, às vezes a vida toda, e não é aliviada completamente com medicação, indica-se outras formas de abordagem da dor, como técnicas analgésicas de fisioterapia como aplicação de eletroestimulação, de relaxamento e a acupuntura. Recorre-se ainda ao psicólogo especialista em dor, porque, como o indivíduo vai ter de conviver com ela, as técnicas de terapia cognitiva podem ajudar. A dor neuropática quase sempre exige mais do que um simples remédio.

Existe cirurgia?

Quando a dor não apresenta uma resposta satisfatória ao tratamento farmacológico e nem aos métodos alternativos, pode-se indicar procedimentos invasivos ou cirurgias, que são variadas. Bloqueios anestésicos, por exemplo, são bastante utilizados. Algumas estratégias cirúrgicas utilizam estimuladores que bloqueiam a passagem da dor em algum ponto das vias nervosas. A nevralgia do trigêmeo, por exemplo, tem várias formas de tratamento cirúrgico e é uma dor que responde bem à cirurgia.

Revista NeuroNotícia, fevereiro de 2011

2 comentários:

  1. cirurgia? do nervo ciatico k eh o meu caso pensio alguem sabe se existe pois não aguento + esta dor de queimadura urgente para:hln.baptidsta@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. se alguem puder me ajuda nao suporto mas tanta dor...........facebook.. jose abreu neuza noleto

    ResponderExcluir